CASO DE POLÍCIA: Prefeito de Canavieiras é investigado pela Polícia Federal e pode perder o mandato a qualquer momento

Uma ação que corre na Justiça Eleitoral, Zona 116, Comarca de Canavieiras – Ba, Numeração: 0600843-11.2020.6.05.0116, contra o Prefeito Clóvis Roberto Almeida de Souza (PROS) pode terminar com cassação de mandato e determinação de nova eleição em Canavieiras.

O Processo, oriundo de uma gravação, amplamente divulgada na eleição municipal, onde uma voz, atribuída a Almeida, confessa o uso da máquina pública em seu favorecimento, bem como insinua as vantagens ilícitas praticadas pelos fornecedores da prefeitura a seu favor durante o pleito eleitoral.

Nos áudios em questão é possível ouvir o que seria o mandatário da cidade dizer como funcionaria o esquema da formação e execução do suposto caixa 2. Confira os áudios

O Ministério Público acatou a denúncia e investigando o caso marcou audiência para o último dia 13, Terça-Feira, com a finalidade de ouvir as partes para emissão do seu parecer.

Inicialmente a ação foi movida pela Coligação “Canavieiras rumo a verdadeira mudança” liderada pelo empresário Edmar Luz (PP), representado pela advogada Ana Carla Correia Fernandes, porém estranhamente e inexplicavelmente o segundo colocado nas eleições municipais decidiu por desistir da continuidade do processo, causando desconfiança no imaginário popular. Observe o documento de desistência:

Diante da desistência repentina do autor, peticionada no dia anterior da audiência, o Ministério Público passou a ser o polo ativo da ação e mediante isso, manifestou-se pela continuidade da mesma, se tornando o autor do procedimento. Veja o documento:

A defesa do réu, Clóvis Almeida, em sua argumentação tentou justificar as gravações, repetindo o discurso comum do acusado, buscando desqualificar a origem e credibilidade das informações contidas nos áudios, chegando a negar a veracidade do conteúdo. Confira parte da defesa:

O que a defesa do chefe do poder executivo pareceu esquecer é que o prefeito é alvo da Polícia Federal neste caso.

A PF já investiga a denúncia, possui a gravação completa, tem conhecimento do autor e detém em seus domínios o aparelho celular usado para registrar a conversa, além de, após análises técnicas de seus agentes, já ter emitido laudos periciais que confirmam a autenticidade do áudio.

Ainda consta na investigação da PF que o prefeito foi intimado e faltou a uma audiência no dia 15 de março de 2022 onde teria que fornecer sua voz a título de ser comparada com a que aparece na gravação. Veja os documentos da Polícia Federal em Slide

Diante do não comparecimento sem explicação, segundo os documentos, foi remarcado uma nova data, 19 de abril do mês em curso, para o Prefeito de Canavieiras comparecer as dependências da delegacia da Polícia Federal e finalmente cumprir o que manda a lei. Confira:

Como a polícia federal já emitiu parecer atestando a confiabilidade e autenticidade da gravação, descartando a possibilidade de ser armação ou fraude, resta agora esperar a confirmação da padronização da voz, após o bolo doido ceder seus timbres para os investigadores, para, que os órgãos judiciais e policiais tomem as providências cabíveis que poderão resultar em perda de mandato, nova eleição e até mesmo reclusão dos envolvidos.

Será que o Bicho solto (autointitulado) dessa vez vai ter coragem de ir na Delegacia Federal?

Quem viver, verá.

Compartilhe