China anuncia que haverá repressão contra privacidade, dados e oposição aos trustes.

Através de documento, China revela que vai criará novas leis sobre segurança nacional, inovação tecnológica, monopólios e educação, como também em áreas que envolvem estrangeiros.

O anúncio mostra que a repressão à indústria, em relação à privacidade, gerenciamento de dados, oposição aos trustes e outros assuntos, continuará no decorrer do ano.

O Partido Comunista Chinês e o governo dizem que até 2025, também querem melhorar a legislação no que diz respeito à saúde pública.

Em se tratando de saúde, é bom lembrar que a China tenta voltar ao normal após o início da pandemia do coronavírus, que surgiu na cidade chinesa de Wuhan, no final de 2019.

As autoridades chinesas pretendem desenvolver leis consistentes no que tange aos novos setores, como economia digital, finanças da Internet, inteligência artificial e computação em nuvem.

Melhorar a legislação em áreas como educação, raça e religião também estão em jogo, revelam os chineses.

Nos últimos meses, o governo freou os gigantes da tecnologia com pesadas regras contra o monopólio e de segurança de dados.

As autoridades usaram uma lei destinada a responder a sanções estrangeiras para punir o ex-secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross. Criaram uma lei de segurança nacional na região de Hong Kong, empregando meios legais para proteger interesses além das fronteiras.

O presidente chinês, Xi Jinping, fez da “governança do Estado de Direito” a própria marca, que será prorrogada se ele emplacar um terceiro mandato em 2022.

Fonte: Reuters

Compartilhe