Coluna: Professor e as modinhas das redes sociais.

Por: Professor Márcio Bandeira*

Hoje deveria ser o dia, o dia de muita comemoração, o dia em que nós professores exaltaríamos a beleza de ser professor, o dia que todas as nações renderiam homenagens aquele que forma todas as profissões. Mas, olhando o cenário atual, não temos homenagens, não somos valorizados, não somos respeitados.

Ser professor hoje tem que ser por amor, dedicação e vocação. Perguntem a qualquer concluinte do ensino médio se querem ser professor, tomarás um susto, educação, nessa sociedade moderna, não é o principal, não é a mola mestra, e sim uma obrigação chata e cansativa.

Comemorar o dia do professor, profissional esse que é desrespeitado a todo estante, seja dentro dos muros das escolas por pais, alunos e o próprio colega que naquele momento exerce a função de gestão, e fora do ambiente escolar por uma sociedade que não enxerga o professor como um ente importante para a construção de uma sociedade mais digna e igual, não passa de mais uma modinha de internet, na qual veremos textos lindos, homenagens belíssimas, mas que duram apenas até às 00:00 deste mesmo dia, pois amanhã voltaremos ao nosso papel cotidiano de meros fantasmas sociais, de meras peças que não foram substituídas ainda por medo do impacto negativo.

Neste dia, deveríamos refletir sobre toda essa situação, sobre a educação em si, e tenho a certeza que depois dessa reflexão perceberíamos que temos muito mais que lamentar e mudar do que comemorar.

Mas para não fugir da modinha, vamos comemorar, pelo menos ainda temos esse dia, no qual a sociedade, hipócrita, olha para os professores com “respeito”, reconhecendo a sua importância para a construção de um futuro melhor, nem que seja por 24 horas.

* Márcio André Bandeira Madeira

Licenciado em Matemática pela Universidade Estadual de Santa Cruz
Psicopedagogo Clínico e Institucional

Compartilhe