É isso mesmo? Presidente da Câmara de Canavieiras estaria tentando desmentir o Tribunal de Contas dos Municípios?

O Presidente Câmara de Vereadores de Canavieiras, Clery Costa (PROS), se posicionou sobre o misterioso desparecimento do ofício de julgamento das contas reprovadas do Prefeito Clóvis Almeida (PROS) enviadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) para o poder legislativo.

Apressado, Clery, errou na data do requerimento, citando um dia que ainda nem aconteceu no calendário de 2022, recheou o ofício de informações contraditórias para finalmente responder que não foi comunicado até o presente momento, por Aviso de Recebimento (AR), pelo TCM sobre a disponibilidade das contas rejeitadas do Prefeito Clóvis Almeida (PROS) para apreciação da casa. Veja o ofício:

A nota do Presidente da casa chama atenção para uma suposta defesa inverídica, já que o próprio tribunal ao ser questionado pela demora da disponibilização das referidas contas para apreciação, respondeu, via e-mail, que o documento se encontrava na cidade e já havia sido retirado na agência de correio local. Para comprovar tal afirmação o TCM disponibilizou comprovante de envio, destinado ao presidente da câmara, dado como recebido por uma funcionária que seria do Poder executivo e não legislativo.

Rastreando o número do AR (Aviso de Recebimento) é possível acompanhar a tramitação do documento de quando foi postado em Salvador, 12 de agosto de 2021, chegada em Canavieiras, 16/08/2021, até sua retirada na agência Local em 17/08/2021. Ainda é possível ver nesse rastreamento que a somente alguém autorizado, possuindo um código, poderia retirar o objeto da agência.

Diante desse mistério assombroso algumas perguntas pairam no ar: Quem teria autorizado a servidora a retirar o documento? A quem ela entregou? Ao Chefe do executivo (pois a funcionária é sua subordinada)? ou ao Presidente da Câmara (Pois o documento foi endereçado ao poder legislativo)?

Se o AR foi enviado ao poder legislativo, foi recebido por uma agente do poder executivo e Clery alega não saber de tal ação, estaria o Chefe da casa de lei municipal, fiel escudeiro do bolo doido (autodenominação do prefeito), sendo enganado e usado pelo mandatário da cidade? Ou o nobre vereador está desmentindo uma comunicação oficial do TCM? Quem teria mais interesse no sumiço do parecer de reprovação das contas? O dono das contas ou seu fiel escudeiro? A verdade precisa aparecer.

Compartilhe