Joe Biden, presidente dos EUA, deve decidir, até hoje, sobre o tempo de evacuação do Afeganistão

Na esperança de fugir do governo Talibã, milhares de afegãos e estrangeiros continuam concentrados no aeroporto de Cabul. O presidente norte americano, Joe Biden, deve decidir, ainda hoje, terça (25/08), se estende o prazo de 31 de agosto para retirar compatriotas americanos e aliados para locais seguros.

Funcionários do Departamento de Defesa dos EUA emitiram nota sobre a necessidade de evacuar milhares de americanos, cidadãos de países aliados e afegãos que trabalharam com as forças americanas, além da demora para remover os 6.000 soldados destacados para proteger e operar o transporte aéreo.

Conselheiros de Biden são contra a extensão do prazo de remoção por razões de segurança. Autoridades americanas dizem que esperava-se que os Estados Unidos continuassem as evacuações mesmo depois de 31 de agosto.

Na última segunda (23/08), o deputado democrata dos EUA Adam Schiff, revelou que não acreditava que a evacuação fosse concluída nos oito dias restantes. “Acho possível, mas muito improvável, dado o número de americanos que ainda precisam ser evacuados”, afirma Schiff.

Jake Sullivan, conselheiro de segurança nacional da Casa Branca, afirma que os Estados Unidos negociam diariamente com o Talibã e que fazem “enorme progresso” na retirada de americanos e outros. Autoridades do Talibã dizem que as forças estrangeiras não pediram prorrogação e que não seria concedida, se assim o fizessem.

Desde o início da tomada de controle pelo Talibã e o caos instalado no Afeganistão, a política dos EUA entrou em colapso, com republicanos da oposição criticando Biden pela evacuação.

Os democratas que controlam o Congresso prometem investigar o que houve de errado no Afeganistão nas últimas semanas e durante o conflito que já dura 20 anos, guerra mais longa dos Estados Unidos.

Os poderosos militares norte americanos lutam contra o colapso das forças afegãs apoiadas pelos EUA, depois de 20 anos de treinamento.

Um militante do Talibã disse: “Não vamos deixar os americanos continuarem aqui. Eles terão que deixar este lugar. Seja com uma arma ou uma caneta, lutaremos até o último suspiro.”

Desde que o Talibã tomou o poder na semana passada, quando os Estados Unidos retiraram as tropas, afegãos e estrangeiros lotaram o aeroporto de Cabul, desesperados para pegar qualquer voo.

Um porta voz do governo britânico afirmou que as evacuações britânicas não poderiam continuar depois que as tropas dos EUA partissem. O ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian, disse que mais tempo é necessário.

O ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, afirma que a cúpula do G7 deve concordar com a extensão do prazo.

Fonte: Reuters

Compartilhe