Presente? Em Canavieiras um festival de grosserias, mentiras e desequilíbrio seria o pacote do prefeito para os profissionais da educação. (Confira áudios e fotos)

Em mais uma atitude, aparentemente, desequilibrada, o prefeito de Canavieiras, Clóvis Almeida (PROS), partiu para o ataque ao usar seu perfil das redes sociais para proferir mais uma rodada de palavras agressivas e ofensivas aos servidores públicos da educação municipal.

Respondendo, ao que tudo indica, o outdoor da APLB, Núcleo sindical dos profissionais da educação, o Bolo doido (autointitulado) teria acusado os trabalhadores de propagarem mentiras e servirem ao diabo.

O que o gestor não explica em seus chiliques virtuais é que o reajuste anual da classe é definido pelo governo federal e que a esfera nacional decretou no começo do ano um aumento de 33,24 % no piso salarial e quem não cumprir essa medida estará descumprindo a lei.

Diante do comportamento, supostamente, fora da lei, do mandatário da cidade, o sindicato da categoria decidiu cobrar e reivindicar seus direitos legais, causando verdadeiro furor no bicho solto (autoproclamado).

Numa tentativa de se defender, o inimigo público número 1 da educação, faltou com a verdade, teoricamente, ao dizer que aguardava repasses do governo federal para completar o piso salarial, visto que o pagamento do reajuste deverá ocorrer dentro dos recursos, já existentes, do FUNDEB que tem por obrigação destinar 70% para pagamentos dos proventos dos servidores educacionais.

Como se não bastasse isso, circula por um aplicativo de mensagem um áudio, atribuído a uma professora, criticando a postura falaciosa do prefeito em um evento comemorativo, onde o mesmo, segundo ela, aproveitou do microfone para balbuciar suas palavras, para uma plateia repleta de alunos menores de idade. Ouça o áudio:

O comportamento agressivo, ameaçador e desrespeitoso do mandatário da cidade é recorrente e vem contribuindo para cada vez mais transforma-lo no maior inimigo da EDUCAÇÃO que essa cidade já viu.

Compartilhe