Revolta: APLB, Vereadores e Suplente se manifestam e repudiam ofensas do Prefeito de Canavieiras.

As recentes publicações matinais do prefeito, Clóvis Almeida (PROS), causaram verdadeiro desconforto e revolta nos diversos segmentos sociais de Canavieiras. Mantendo uma agressividade costumeira, o gestor, usou termos grosseiros, agressivos, ofensivos e cheios de ódio.

Após suposto acordo não cumprido com a APLB, representantes sindicais dos servidores da educação, o mandatário da cidade foi alvo de crítica e protestos (pacíficos) da classe, mas não engoliu bem e reagiu com uma série de ataques supostamente direcionados aos professores e demais trabalhadores do setor.

Palavras chulas e rasteiras como: vermes, estrume, cocô, covardes, malignos e imorais foram os termos usados pelo chefe do executivo como possível resposta aos professores e seu sindicato. Confira:

Diante do comportamento, aparentemente, ensandecido do prefeito, o ativista popular e primeiro suplente de vereador, Franklin Silva (PTB), rapidamente repudiou os ataques e publicou nota de apoio aos professores, condenando o ato primitivo do alcaide.

O Vereador Roni da Pescan (PROS), saiu em defesa dos servidores educacionais e também se manteve firme contra o destempero do chefe dos +Humanos.

Lescepis Rocha (PTB), também não gostou da fala agressiva de Almeida e soltou uma nota em defesa e apoio a causa dos mestres educacionais.

Cléonildo Tibúrcio (PROS) foi outro vereador que não aceitou as grosserias proferidas e decidiu se manifestar, repudiando categoricamente o posicionamento cheio ódio das postagens do gestor.

NOTA DE REPÚDIO

É com grande indignação e preocupação que venho a público manifestar o meu repúdio aos ataques que a gestão municipal vem promovendo aos profissionais da educação. Sabemos que estes profissionais (professores e não docentes) estão manifestando nas suas redes sociais por uma cobrança de um posicionamento do gestor municipal, no que diz respeito, ao abono referente as sobras do 70% das verbas do novo FUNDEB.
O que vimos a semana passada foi uma categoria unida, em busca de algo que é seu por direito, afinal, a lei 14.113/2020 definiu de forma categórica que 70% deste fundo deve ser destinado único e exclusivamente para pagamentos dos profissionais da educação, e assim sendo, já que o município tem sobra de recursos, devido a diversos fatores, inclusive do não cumprimento dos Planos de Carreira, nada mais justo que essa sobra seja legalmente distribuída entre esses profissionais.
Deste modo, recebi com muita perplexidade os ataques proferidos pelo prefeito aos profissionais da educação, dirigindo-se a essas pessoas com ameaças e palavras chulas, o que difere totalmente do que deveria ser a postura de um gestor para com as pessoas que fazem a educação do município acontecer.
Assim, me solidarizo com os profissionais da educação e com a APLB que de maneira honrosa vem enfrentando esse capítulo triste da educação municipal.

O Legislador Cosminho do HT (PP), partiu para defesa dos professores e foi mais um se posicionar contra os ataques.

Isa Ramalho (PP), única representante feminina na casa de lei, emitiu nota de apoio aos professores e servidores da educação, condenando qualquer atitude depreciativa contra a classe.

Durante toda a minha vida pública fui norteada por princípios éticos, trabalhei com pessoas de diferentes ideologias político/partidárias, e ainda assim sempre houve muito respeito mútuo.
Nessa minha jornada sempre agi com objetivo claro: trabalhar pensando no que é melhor para todos. Agora, como vereadora, não poderia me afastar de tudo aquilo que me fez ser eleita como representante do povo. Assim, não compactuo com quebra de acordos legais e não compartilho mensagens torpes, indignas e/ou depreciativas à imagem e/ou a honra das pessoas.
Faço e farei aquilo que julgo como certo, de forma imparcial, moral, humana e equilibrada.
Portanto, podem me rotular e me julgar por aí, mas aquilo que sou de verdade, o meu caráter, isso é meu, e ninguém irá desvirtuar.
Para finalizar, aos Servidores da Educação municipal o meu apoio e meu respeito sempre.

A APLB fez um protesto, cobrando respeito e conclamando seus filiados e simpatizantes a lutarem pelos seus direitos, bem como contra atitudes que tentem intimidar, limitar e sufocar qualquer ato de luta da categoria.

Compartilhe